Labirintite

 

Labirintite

 

Labirintite é a doença que se desenvolve no ouvido e afeta as estruturas responsáveis pela audição e pelo equilíbrio, cóclea e vestíbulo respectivamente.

O que é o labirinto?

Labirinto é o nome dado a região do ouvido interno diretamente ligada tanto à audição quanto ao equilíbrio, constituído por um tecido ósseo e outro membranoso em formato de caracol que abriga a endolinfa, líquido viscoso presente entre as duas camadas: labirinto posterior e inferior.

O labirinto inferior é a região onde acomodam-se as estruturas nervosas responsáveis pela transmissão dos impulsos auditivos.

A camada conhecida como labirinto posterior tem a função de fornecer ao corpo a noção de equilíbrio, e é também onde estão localizadas a endolinfa e as células nervosas que transmitem a informação da posição da cabeça em relação ao restante do corpo.

Tipos de labirintite

As vertigens associadas a labirintite podem ser divididas em 3 tipos:

  • Migrânea vestibular: mais comum em pacientes com histórico de enxaqueca.
  • Síndrome de Ménière: geralmente associada a problemas metabólicos e maus hábitos alimentares.
  • Vertigem paroxística benigna: mais recorrentes em pessoas com traumatismo craniano e alterações metabólicas como diabetes e colesterol alto.

O que pode causar labirintite?

Ainda não existem causas específicas para alterações no labirinto, mas já se sabe que alguns tipos de inflamação e infecções são potenciais causadores da doença, como resfriados e otite.

Outros fatores são apontados como possíveis causas da doença, ainda que com menor frequência do que os exemplos citados anteriormente. É o caso de reações alérgicas, doenças neurológicas, alterações genéticas, uso de medicamentos nocivos à saúde e alguns tipos de tumores.

Isso faz com que a labirintite tenha suas causas divididas em:

  • Emocionais: originada pelo nível de estresse;
  • Virais: causadas por infecções na boca, ouvidos e nariz;
  • Bacterianas: decorrentes da invasão de bactérias no labirinto.

Quem tem mais probabilidade de desenvolver a labirintite?

Alguns fatores podem ser determinantes para que uma pessoa desenvolva a labirintite, como por exemplo:

  • Diabetes;
  • Hipertensão;
  • Tabagismo;
  • Jejum prolongado;
  • Alcoolismo;
  • Colesterol alto;
  • Triglicérides;
  • Níveis elevados de ácido úrico;
  • Açúcar em excesso;
  • Idade acima dos 40 anos.

Quais são os sintomas da labirintite?

O sintoma mais conhecido da labirintite é a vertigem, onde a pessoa tem a sensação de que tudo à sua volta está girando.

Além desse, outros sintomas também podem surgir simultaneamente, como:

  • Queda de cabelo;
  • Desequilíbrio;
  • Perda de audição;
  • Zumbidos frequentes no ouvido;
  • Tontura;
  • Sudorese;
  • Vômito e náuseas.

Quando a labirintite é causada por resfriados ou gripes é normal que seus sintomas apareçam após uma ou duas semanas.

Já a fase mais aguda da doença pode surgir de repente sem qualquer tipo de sintoma, com duração que pode ser de alguns minutos até dias.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da labirintite pode ser feito tanto pelo otorrinolaringologista quanto por um clínico geral, e é recomendado que o paciente esteja preparado com algumas informações importantes afim de agilizar o diagnóstico.

Informações como histórico clínico anterior, e uma relação dos sintomas que o paciente vem sentindo são importantes e podem ajudar o especialista a ter um diagnóstico mais preciso da situação em que o paciente se encontra.

Além do exame clínico, o médico também pode solicitar a realização de alguns exames, como:

Os exames mais solicitados são:

  • Eletronistagmografia;
  • Eletroencefalograma;
  • Tomografia computadorizada;
  • Audiometria;
  • Ressonância magnética;
  • Teste de reflexo dos olhos através (aquecer e resfriar o ouvido com água ou ar).

Esses exames são realizados para eliminar qualquer tipo de suspeita sobre outras doenças que possam estar causando os mesmos sintomas da labirintite, como hipertensão arterial, problemas neurológicos ou AVC.

Qual é o tipo de tratamento mais indicado?

Na maioria dos casos a labirintite acaba desaparecendo sozinha, porém há casos onde o tratamento clínico é necessário.

O principal objetivo do tratamento da labirintite é a redução dos sintomas até que a doença desapareça por completo.